Como reduzir o preço do seguro auto em tempos de violência – Rota System
ACESSO RESTRITO Monitoramento 24h 2ª VIA DE BOLETO (54) 3355-1555 vendas@rotasystem.com.br
ACESSO RESTRITO Monitoramento 24h 2ª VIA DE BOLETO (54) 3355-1555 vendas@rotasystem.com.br

Como reduzir o preço do seguro auto em tempos de violência

voltar
13/março/2018

O índice de sinistralidade – que é a diferença entre as receitas apuradas com seguros e as indenizações pagas – é um dos fatores que faz o preço da apólice e das prestações crescer e afetar o bolso do segurado.

Só na Zona Sul da cidade de Rio de Janeiro, o crescimento de roubo de carros foi de 45% no primeiro trimestre de 2017, em comparação ao mesmo período de 2016, segundo levantamento feito pelo Bom Dia Rio. Com o aumento na violência, os preços dos seguros veiculares na cidade acabou disparando.

Porém, há algumas formas de tentar reduzir o índice de sinistralidade do seguro auto, fazer cair o valor em até 25% e ainda assim ter uma cobertura eficaz. Conseguir demonstrar que o carro é constantemente estacionado em locais mais seguros, menos suscetíveis a roubos, furtos, danos e acidentes, pode tornar o seguro mais barato.

Dicas para reduzir o preço do seguro automotivo

Ter garagem em casa é um dos argumentos que fazem o seguro baixar. Veículos que pernoitam em garagens fechadas, com portões eletrônicos e alarmes nos prédios estão supostamente menos expostos a sinistros.

Durante o dia, quem escolhe por parar em estacionamentos fechados e seguros também pode ter vantagens na hora de negociar o valor da apólice. Por isso, pode ser interessante guardar comprovantes do uso de estacionamentos rotativos mais seguros, que preservem o veículo de danos externos.

Ter um carro equipado com dispositivos que aumentam a segurança é outro diferencial para fazer reduzir o preço do seguro auto. Um rastreador veicular ajuda na localização do carro roubado por meio de tecnologia GPS e sinais de radiofrequência.

Outro equipamento é o botão de pânico, que conecta o carro a uma central especializada – da Polícia ou de uma empresa de segurança, por exemplo – que dará informações sobre rotas mais seguras. Um bloqueador antifurto, que trava o sistema de ignição, o freio ou da bomba de gasolina quando o alarme do carro for disparado também é um equipamento capaz de fazer reduzir o preço da apólice de seguro.

Carros que são menos usados também acabam tendo o seguro reduzido, conforme a necessidade real de cada caso. Motoristas que usam pouco o veículo, distanciando em até 200 km da residência, por exemplo, podem pagar mais barato, tendo redução de serviços agregados que tendem a ser menos usados, como o guincho ilimitado. Outra maneira é limitar o uso do veículo a pessoas que, estatisticamente sofrem mais sinistros no trânsito, como jovens motoristas. Fixar apenas dois dias na semana para o filho de 18 anos usar o carro pode ajudar a cair o preço do seguro.

Fonte: Portal da Ilha


Copyright 2017 - Todos os direitos reservados.