Roubo de cargas predomina nos debates do XVIII Seminário Brasileiro do Transporte Rodoviário de Cargas – Rota System
ACESSO RESTRITO Monitoramento 24h 2ª VIA DE BOLETO (54) 3355-1555 vendas@rotasystem.com.br
ACESSO RESTRITO Monitoramento 24h 2ª VIA DE BOLETO (54) 3355-1555 vendas@rotasystem.com.br

Roubo de cargas predomina nos debates do XVIII Seminário Brasileiro do Transporte Rodoviário de Cargas

voltar
15/maio/2018

Nesta quarta-feira (9), o Auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados, em Brasília, foi palco do XVIII Seminário Brasileiro do Transporte Rodoviário de Cargas.

Flávio Benatti, presidente da Seção II – do Transporte Rodoviário de Cargas da CNT, destacou a contribuição do seminário ao longo de seus 18 anos de história. “O setor avançou muito em seus pleitos, e é inegável a importância deste evento e da CVT para nossas agendas por entenderem a necessidade do debate para a melhoria da atividade de transporte em nosso país.”

Diante dos custos bilionários gerados pelo roubo de cargas no Brasil, o assunto foi um dos temas mais relevantes do evento. O setor transportador tem buscado respostas para contornar o problema e conter os prejuízos causados por este. Segundo a NTC&Logística, entre 1998 e 2017, foram contabilizados mais de 285 mil casos de roubo de cargas no setor rodoviário do país, totalizando um prejuízo de mais de R$ 16,3 bilhões, sendo que os estados do Rio de Janeiro e de São Paulo, juntos, somam 82,3% dessas ocorrências.

Para o presidente da NTC&Logística, José Hélio Fernandes, a questão do roubo de cargas “tomou proporções absurdas, a ponto de se alastrar para todo o país. No Rio de Janeiro, por exemplo, a situação é crítica. Todo dia é assalto a caminhão, na linha amarela, na linha vermelha. Precisamos encontrar caminhos, envolver o Congresso Nacional, o governo e a sociedade, pois o que estamos vendo e vivendo é o crime alimentando o crime”.

Por sua liquidez e seu alto valor agregado, os principais alvos dos criminosos são os produtos alimentícios, eletroeletrônicos e cigarros, embora o número de ocorrências com materiais químicos e farmacêuticos também venha crescendo substancialmente. Do assaltante ao receptador, o sistema que alimenta o roubo de cargas se aproveita das dificuldades no rastreamento dos produtos-alvo desse tipo de crime.

Diante disso, o presidente da CVT, Domingos Sávio, destacou a necessidade de desenvolver estratégias de enfrentamento do problema. “O transporte rodoviário carrega o PIB [Produto Interno Bruto] brasileiro e é imprescindível para retomarmos o pleno crescimento econômico de nosso país. Assim, para que possamos vencer esta guerra, precisamos integrar inteligências e investir cada vez mais em tecnologia.”

Fonte: SETCERGS


Copyright 2017 - Todos os direitos reservados.